Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

Número total de visualizações de página

quinta-feira, 6 de junho de 2013

"QUANDO O FUTURO É O PRESENTE"

CRÔNICAS




    "QUANDO O FUTURO É O PRESENTE"



               -É possível que algum momento na vida você tenha desabafado com palavras, algumas indignação, alguma profecia macabra (praguejado), algo assim: "ainda vamos pagar pra trabalhar" "o governo muda tanto as leis da aposentadoria que vamos morrer todos antes de se aposentar". Certa vez ouvi alguém revoltado praguejando. Não sei a razão da revolta. Mas ele dizia: "vai chegar um dia que São Paulo vai virar nordeste e o nordeste vai virar São Paulo". Você já ouviu algo semelhante? Será que algo parecido é visto hoje?
               -Bem, ontem dia dez dese mês (18 de maio de 2005) estava estampado na manchete do jornal "DIÁRIO DE SÃO PAULO" - IDOSO MORRE NA FILA DE ESPERA DO POSTO DE SAÚDE - É óbvio que os editores de tal matéria não usam o coração, emoção nem muito menos razão para estampá-la nas capas de seus jornais. Tratam-no apenas como um furo de reportagem ou de um assunto para complementar a página. A manchete mostrava um corpo, contudo, a matéria falava de dois, um homem e uma mulher.
            -A muito tempo tem-se percebido as maracutaias, estelionatos e falcatruas dos planos de saúde. Entenda a situação: Todo trabalhador que não tem condições de pagar um plano de saúde particular, a lei obriga a descontar um certo valor (que não é pouco) na folha de pagamento, para que ele possa utilizar o sistema de saúde público. Não estamos falando dos demais impostos que se cobra do cidadão para pagar outras despesas desse mesmo plano. Todavia, por décadas e décadas o plano de saúde público vai de ruim a pior. O que aconteceu? Apareceram homens inteligentíssimos  para criarem empresas e mais empressa de planos de saúde. 
               -Acredite, muitas dessas tinham como objetivo oferecer um serviço de ótima qualidade, já que cobram valores exorbitantes. Pois é, conseguiram a proeza de serem piores que o plano de saúde do governo. Ou seja, está se cumprindo a profecia que fizemos num momento de indignação um dia eles (planos de saúde de governos e particulares) vão esperar agente morrer pra não terem despesas com nossos tratamentos. Estamos vendo esse cumprimento nos "SUS" INSS da vida e nos PLANOS EMPRESAS do Brasil a fora. Em outras palavras, isto significa que o dinheiro mensal que pagamos pra um ou pra outro, e às vezes para os dois, eles fazem usufrutos, em vez de usarem no que é sua principal responsabilidade, obrigação e dever: "Cuidar da saúde dos que lhe pagam pra isso.
              -Esse é ou não é O FUTURO PRESENTE?





                                Cavalcante,




Nota do AUTOR: Esta crônica foi escrita no dia 18 de maio de 2005

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...