quinta-feira, 4 de setembro de 2014

LINDA CANGUARETAMA-RN

BONS TEMPO (?)




                                   CANGUARETAMA



O ano é: 1987.  Eu um jovem que acabara de completar 18 anos. Vivendo as ilusões e alusões que a época me proporcionava. O que eu mais queria era voar. Adoraria falar coisas boas dos motivos que me tornaram um sonhador e invejoso dos pássaros. CANGUARETAMA, cidade modesta do interior do RN. Cidade onde vivi minha infância sem se preocupar com nada nesse mundo. Levava a vida a brincar: jogar bola, tomar banho de rios e marés, correr atrás de galinhas e gatos espantando-os; Vivia a subir em árvores típicas como mangueiras, pé de cajá, goiabeiras, chegava a me aventurar  subindo em pé de coco... Loucura! Não posso deixar de citar que acima de tudo eu era um bom aluno, além de amar a diversão infantil, eu era um exímio aluno.
                                      Bem, deixa esse assunto pra depois, por enquanto  vamos falar um pouco mais dos meus sonhos. Eu menino, vivia no berço da miséria, não só eu, mas a maioria das famílias desta linda cidade... Sim linda na medida do possível. Há quase três décadas atrás, CANGUARETAMA, era uma cidade onde suas casas predominavam as alvenarias de pau a pique. (casas de taipas) com chão batidos, eram pouquíssimas casas que tinham os pisos revestidos de cerâmicas, até mesmo apenas cimentados. As ruas da cidade eram quase todas sem asfalto ou paralelepípedos. Acredito que essa miséria foi à causadora de minhas asas voadoras. Enquanto somos crianças não nos damos conta em ver as ruas esburacadas e cheias de lamas, não nos importamos se vemos os esgotos a céu aberto... e os nossos poucos rios não tinham tratamentos... Pois é, eram messes rios que eu me esbaldava num sol de 40 graus. É Verdade, a Falta de emprego na cidade foi propulsora para que um jovem que acabara de se tornar adulto fosse batalhar por alimento, roupa, educação e uma vida melhor... Assim, bati asas deixando Canguaretama para trás, um mundo de infinitas portas me esperava. Deixei para trás as muito mais que a cidade querida, deixei minha mãe amada.
                                       O ano é: 2014 passaram-se quase três décadas, estou de volta a CANGUARETAMA. Quando daqui saí o slogan no país era: Brasil um país em via de desenvolvimento. Com o passar das décadas, hoje vivemos num país que nos iludimos a acreditar que o futuro chegou e estamos nos tempos da globalização, e a tecnologia futurística é uma realidade na casa de milhões de brasileiros, inclusive nas casas do meu povo Canguaretamense. Não podemos fechar os olhos para realidade, o Brasil mudou... Canguaretama... Canguaretama... Canguaretama, bem Canguaretama  estagnou-se´. É bem verdade que tivemos algumas melhoras como o acréscimo do número de escolas e até faculdade hoje se encontra na cidade... Se perguntarmos ao nativo, eles vão afirmar com toda certeza que a cidade não mudou em nada... O custo de vida aumentou mas os salários de seu povo é tão minguado como antes, e a cultura de se trabalhar por apenas seis meses nos tempos de safra da cana de açúcar é mantida ainda hoje.
                                       De 1987 pra cá já se passaram quase 08 prefeitos no comando da prefeitura da cidade. Todos os prefeitos tinham ao seu lado dezenas de vereadores, isto quer dizer que em oito mandatos a média é de oitenta vereadores... Sem contar com as secretaria disso ou daquilo.
                                       Eu voltei trinta anos depois... Nunca deixei de amar nossa cidade, mas  hoje não consigo mais amar os esgotos a céu aberto e os rios que cortam a cidade sem tratamento, não conseguem ter a inocência de ver tantos pais de famílias em baixo das árvores esperando a hora passarem. Não consigo ver ainda milhares de casa igual ou pior das que deixei a 30 anos atrás. Hoje sou adulto,. Nossos filhos talvez não sintam a diferença de uma cidade, se a cidade é limpa ou não, se eles comem bem ou não, se eles se vestem bem ou não, se o esgoto é jogado na frente de suas calçadas ou não... É criança não ver isso... o coração delas é limpo demais para se preocuparem com esses detalhes. Contudo elas crescem e despertam seus sonhos... e não tardam a perceber o porque de um desses sonhos é bater em retirada da cidade que é seu berço.
                                      Apesar de tudo, continuo achando minha querida CANGUARETAMA, linda, banhada pelos mares, Torcendo que o descaso seja no mínimo reparado, torcendo que a água vendida pela CAERN, seja menos salobra. Torcendo que a dengue não invada numa epidemia. Voltei Canguaretama, e para junto com os meus conterrâneos aqui viver e dar uma vida melhor para os nossos filhos. E como escritor- apenas como escritor-eu quero escrever outro retrato dessa cidade, que não só eu ama... e sim todos que aqui moram. Quero escrever uma Canguaretama que eu via quando criança, uma CANGUARETAMA sem defeito... Pois é, hoje escrevi como adulto. Qual criança não gostaria de brinca numa praça dessas?
                   
CANGUARETAMA DÉCADA DE 80

MARÉ ONDE ME DIVERTIA (hoje abandonado)




       

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...