Número total de visualizações de página

MAGAZINE ERIKA!

sábado, 26 de dezembro de 2015

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA



                    ADISTÂNCIA E A SAUDADE



    A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palhaçadas. Momentos triste com a doênça e com as quedas que invariavelmente quebramos alguns ossos. A vida de criança é assim, gostoso de se viver. As horas passam, assim que acordamos nossos pais nos mandam escovar os dentes e lavar o rosto. Vamos lá e voltamos cá, já é a hora do almoço, quando menos percebemos veio a janta e logo estará na hora de naná. 
    O relógio é implacável, o tempo não para, então começamos a perceber que o impoprtante em nossas vidas não é apenas o relógio e sim, também, o calendário. É nele que marcamos que dia é hoje e que mês. Percebemos então que as pessoas nos desejam feliz aniversário então começamos entender que completamos mais um ano de vida. Claro, já não nos pegam nos braços, apenas beijos e abraços, meio sem jeito retribuímos quase sem se dar conta que já estamos grandinhos. Para nós agora passa ser importante não mais os dias da semana ou mês e sim o ano; Pois é o ano, em que ano estamos?
    O espelho mostra nossas primeiras espinhas na cara, e nem nós sentimos a mudança de voz. Nos damos conta principalmente quando passamos ouvir alguém dizer "nossa, como cresceu!".É realmente crescemos, parece até que a casa está pequena para tanta gente, e olha que só existem quatro pessoas... Não importa, o lugar que é nosso lar, parece não ser mais confortável, então vem o mais forte dos pensamentos: voar, voar, voar... Nunca na vida um pássaro foi tão admirados por nossos olhos. E quando vemos daqui de baixo um avião nas alturas? Ficamos pensando: pra onde será que ele vai? Não, não tenho coragem de voar num bicho desse, é assim que resumimos nossas passagens da infância para a fase adulta.
    Aquele bicho que não tínhamos coragem de entrar, hoje faz parte de nosso meio de locomoção. Descobrimos que ele é nosso cano de escape para o mundo, e em nenhum minuto pensamos que seja um adeus para quem fica para trás. Implacável tal qual o tempo, a 'Distância e a Saudades' deixam marcas e efeitos que machucam e esfriam o amor ou qualquer outro tipo de sentimento. Grande é a sutileza. ligamos de onde nos encontramos e até visitamos quem deixamos para trás, mas a distância não muda e a saudade aumenta... aumenta tanto que chega explodir; Apenas no silêncio a explosão destrói tudo que temos por dentro, e como o coração não tem olhos, não consiguimos ver o tamanho do que foi demolido.
    A distância tem o poder de congelar sentimentos; Congela tanto que o mata de frio. E a Saudade que tanto era grande vai se diluindo com o passar do tempo. Isso não acontece só com quem se vai não, acontece também com quem fica... Porém quem fica, sente menos o coração partido. O poder maléfico da Distância é tão grande que a palavra saudade passa soar como um enfeite decorativo de uma árvore de natal onde olha e vê, mas o pisca-pisca tira atenção. Adistância tem o poder de trocar a saudade pelo esquecimento e pior, troca a saudade pelo desconhecimento. As pessoas não nos veem mais como aquele que partiu e deixou saudades e sim, como um estranho, onde fica o tempo todo nos estudando. E isso é natural, porque todo mundo muda, as pessoas mudam e nós não somos diferentes, pois quem ficou também muda. Então ficamos, falamos ou pensamos coisas com os amigos que permaneceram, e no entanto parece que estamos falando em outro idioma. A saudade é a primeira vítima da distância e as outras vítimas são os que vão e os que ficam. Quando se passa mais de 30 anos sem ver um parente, este parente passa de certa forma ser um estranho em nossas vidas e nós como um estranho na vida deles. 
    Esses tipos de sentimentos deixam todos nós confusos, pois chegamos a pensar que não somos queridos, tanto de um lado como de outro. Sem contar, que podemos ser confundidos como ingratos e egoístas.  Apenas um remédio, pode curar e reaproximar o amor que na verdade não está destruído com a explosão, e sim apenas dormindo, é a aproximação. De uma certa forma, nos aproximarmos e vivermos novamente juntos e passarmos por momentos bons e ruins, sentir o cheiro do suor ou do perfume e ri das piadas e chorar nas repreendas. No entanto a 'Distância e a Saudades' não tem o poder destruir o verdadeiro amor. Pode até esfriar, mas assim que ouvimos a voz, sentimos o cheiro, e até lemos uma escrita, saberemos até que houve mudanças que foram inevitáveis, mas o coração da pessoa é o mesmo. Então hoje, temos muitos meios de incurtarmos a distância e matarmos de vez com a saudade, basta querer por que as pessoas de quem estamos distantes, também estão distantes de nós e como se diz a distância é a mesma, no entanto a iniciativa para aproximação é de cada um. Estarmos dia a dia mais presente, é muito mais fácil manter o amor presente, para quem sabe num curto período de tempos possamos demosntrar todo nosso amor e carinho num verdadeiro e caloroso abraço
    Gostou dessa CRÔNICA? passe para frente, ajude na divulgação do nosso blog! Seja um seguidor!

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...