domingo, 5 de julho de 2015

ESCRITORES ANÔNIMOS

CRÔNICAS


                     ESCRITORES ANÔNIMOS

                                                                      "CRÔNICA" : NÓS ESCRITORES ANÔNIMOS



                                                                         

                                                             Tudo começa a partir de um sonho, o sonho de ser escritor: Logo um grande escritor, e depois apenas um escritor e ainda depois, pelo menos um escritor anônimo. Mas depois de tantos sonhos e de tantas dificuldades... Não desistindo chegamos a realizar, claro com nossos esforços e um pouquinho de grana, tiramos do rascunho e transformamos em livro. O livro, que de agora em diante temos mais uma batalha pela frente, a de fazer com que alguém leia nossa obra... Parece irônico dá até vontade de distribuir exemplares gratuitamente, só pra termos o prazer de vermos nossos delírios, nossos pensamentos, nossas histórias, nossas emoções, nossas imaginações... Lida por alguém. Tudo isso dito, vejo que depois de realizado, nos sentimos um verdadeiro escritor. Veja apenas nos sentimos, ainda não somos, sabemos disso, passamos acreditar nisso, porque é a verdade. O verdadeiro escritor é aquele, que consegue vender seus livros para um povo que o seu próprio eu considere aceitável.
                                                   Quantos livros tem que ser vendido para que o escritor aceite como razoável, para que ele se sinta um verdadeiro escritor? 01? 10? 200? 1000? 10.000? ...? Quem escreveu e já publicou um, dois, três, quatro ou mais livros, sabe do que estou falando! No entanto, depois de tudo isso, a soberba parece que sobe à cabeça dos escritores anônimos. Tenho tentado fazer amizade com vários escritores anônimos, e consegui com vários deles,... Ingenuamente, tento nos unir, através da internet, querendo ajudá-los e ser ajudado... Mas tal qualquer outra classe, onde se dizem não serem unidas, assim se comporta a classe de nós escritores anônimos...
                                               Será que eu sou assim também, e não vejo? Sei da dificuldade de um apoiar o outro, pois nesse imenso país temos escritores de norte a sul, e todos com seus problemas pessoais... Contudo, vivemos num mundo globalizado, informatizado, cibernetizado e com várias redes sociais; Podemos curtir comentar, compartilhar os trabalhos e livros dos amigos. E os amigos podem fazer o mesmo com os nossos... Mas não é isso que se ver. O orgulho ou a soberba os fazem acreditar que suas obras são melhores que a nossa! Será? 
                                                     Se você amigo, que é escritor anônimo e pensa igual a mim, não se envergonhe, deixe aqui seu comentário, sua crítica - se possível compartilhe suas ideias para que nossos amigos e escritores anônimos também pensem sobre tudo isso, e assim quem sabe um dia deixemos de ser anônimo.


05/07/2015

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...