sábado, 24 de junho de 2017

ALFABETIZANDO A MENTE



CRÔNICA




                                                ALFABETIZANDO A MENTE



                                                 Vamos começar por deixar bem claro que não sou professor da língua  portuguesa. Aliás, não sou professor. Mas como todo bom curioso, e interessado em ajudar com o pouco que aprendi nesses anos de vida e de escrita, gostaria de tentar tirar algumas dúvidas sobre algumas pegadinhas e costumes do nosso dia a dia. Claro aqui neste texto, se lido por algum professor da língua portuguesa, com certeza vai encontrar não só um erro, mas vários.
- Nas redes sociais, hoje, uma febre mundial, e com a tecnologia avançada dos teclados digitais e de correções automáticas, e apesar de apresentar erros de digitação, é comum ver erros grotescos da língua portuguesa.
- Quem não se encontrou em certo momento da escrita, com dúvida sobre essa ou aquela palavra, se está correta ou errada? Não é nem o caso se escrevemos ela (palavra) com um S ou SS, com SS  ou Ç, com Z ou S; Nem se escrevemos M OU N antes de P e B ; Como TAMPOUCO ou TÃO POUCO. Acredito que essas dúvidas citadas a cima, com um pouco de estudo e dedicação irá se dissipar.
- Voltando às redes sociais, nota-se que todo mundo quer se expressar; quando não por meios de figurinhas que são conhecidas como "emojis", se expressam com escritas. E percebemos os erros que são cometidos pelos vícios das palavras faladas, pois nem sempre o modo que falamos é a forma forma correta de se escrever, ou seja, falamos de um jeito e escrevemos de outro.
- O que eu acho magnífico... Porque aos poucos vamos nos corrigindo e prestando mais atenção ao que escrevemos, se vamos pagar mico ou não. Olhem só como é maravilhoso esse tema, porque em momento algum nos perguntamos se no FACE dos usuários de línguas estrangeiras, como os ingleses, poloneses, turcos ou espanhóis por exemplos, se eles cometem erros gramaticais... Ou os erros gramaticais só existem em nosso idioma? Na verdade, nós estamos nos auto corrigindo, e isto é esplêndido!
- Não custa nada eu vos relembrar que não sou professor de língua portuguesa e tampouco tenho a intenção de esclarecer tecnicamente e ou por meios de regras do mundo ortográfico, mesmo porque não sou capaz nem preparado para isso. Vou aqui tentar explicar do meu jeito e de como entendo ser a forma, acredito, mais fácil de tentar evitar tais erros. Dito isso, continuemos...
- Alguns erros que se tornaram vícios, são palavras como:  "concerteza (com certeza)" se escreve junto ou separado'? Quando devemos escrever "me ou mim"?  Quando devemos usar as palavras "em comum", "comum ou incomum"? "tão pouco"? ou "tampouco"?
- Comecemos pelas palavras "em comum" bem a palavra "em comum" não existe, o que existem são duas palavras, em e comum. E a palavra "COMUM", significa algo corriqueiro, habitual, do uso ou domínio de todos. Quando dizemos que gostamos de um fruta e o amigo de uma outra região diz que la na terra dele essa fruta é comum. Ele quis dizer que de onde ele veio, tem tanto daquela fruta lá que que todos conhecem muito bem.  Quando dizemos que temos algo em "comum" com outra pessoa, estamos querendo dizer que gostamos das mesmas coisas, ou que pensamos iguais com o mesmo modo de ver as coisas, que apreciamos as mesmas cores... etc. 
- A palavra agora é "INCOMUM" em si a palavra já diz para que veio, que o INCOMUM não é comum, ou seja não é normal, é o mesmo que anormal. Então quando dizemos que temos algo "INCOMUM", estamos dizendo que pensamos diferente do amigo, ou que a roupa que usamos não é todos que usariam, exatamente por uma questão de gosto ou por não ser uma roupa fácil de se achar no mercado. Quando falamos que temos algo "incomum" não estamos discordando do outro, mostramos que as visões para certo tipo de gosto ou assuntos são diferentes. 
- A palavra agora é "COM CERTEZA" (CONCERTEZA) também não existe, o que existem são as palavras "com" e "certeza" são duas palavras, por exemplos a gente não fala "com azar" ( juntos) "conazar" PORQUE a palavra conazar não existe, na verdade ela são duas palavras "com" e a palavra "azar". Agora ficou fácil, toda vez que formos usar a palavra "COM CERTEZA" Vamos lembrar que se escreve separados, já que igual a palavra "com azar, (CONAZAR) não se escrevem juntas. Quando falamos "com certeza, estamos ratificando que que algo está correto, ou certo, porque também não dizemos ao afirmar algo "confirmeza" dizemos "com firmeza"
- As palavra agora são "ME" e "MIM". Sempre nos pegamos escrevendo um no lugar do outro e muitas vezes quando escrevemos um outro contamos com a sorte. Não há a certeza, não se preocupa se está correto ou não a forma escrita. A verdade é que no íntimos ficamos com vergonha ou chateados quando um intruso nos corrigem e público... que chato né?
Resultado de imagem para imagens do abc
- Então quando é que devemos usar de forma correta as palavras ME ou MIM?  Pesquisando no dicionário a palavra MIM não foi de muita ajuda... Segundo o dicionário a palavra "MIM" Significa VARIAÇÃO DO PRONOME (EU) SEMPRE QUE É PRECEDIDO DE PREPOSIÇÃO.(Temos que saber, quais são essas preposições) Você entendeu? Claro, sei que muitos entenderam; Mas sei também que para muitos essas palavras não ajudaram em nada. Em tão vamos lá...
 A palavra é "MIM". Usaremos uma pequena frase com a palavra "mim": "...quero que saibam, mim vai comer" Naturalmente queremos dizer que "eu vou comer algo.  Não quero me referir ao fato, também, que soa muito esquisito falar, mim vai comer.... MAS a forma está correta quando) Se usássemos a palavra ME, estaríamos dizendo que algo é que ia nos comer . Primeiro vamos tentar entender quando devemos usar o "MIM". Eu entendo  que devemos usar a palavra "mim", toda vez que tenhamos o interesse de que você queira que alguém faça algo "PARA" você DEVE USAR A PALAVRA "PARA",(para então usar em seguida a palavra "mim") toda vez que você peça alguma coisa. No caso da frase citada acima, você não está pedindo nada para alguém... Percebeu?
- Veja estas frases como exemplos: "Carlos traga o livro para mim!" Camilla, você pode compra para mim seis pãozinhos?  Veja essas mesmas frases sem a palavra "PARA" OBRIGATORIAMENTE USAREMOS A PALAVRA "ME". Observe: "Carlos "ME" traga o livro", "Camilla, você pode "ME" comprar seis pãozinhos?"
- ME USAR :                   ( digo que alguém está fazendo algo comigo) no caso aqui, usando.
- MIM USAR:                  (Digo que  EU que faço algo) 
- ME FAZER:                   (Digo que alguém fazendo algo comigo)
- MIM FAZER:                 (Digo que EU estou fazendo)
- PARA ME COMER:      (Digo vai fazer algo comigo)     
- PARA MIM COMER:    (Digo  EU vou comer algo) 
- ME BEIJA:                      (Digo alguém me beija)
-MIM BEIJA:                     (Digo EU Beijo alguém)
-BEIJO PARA ME:            ( Digo que é EU que vou beijar)
-BEIJO PARA MIM:          (Digo que é para me beijarem)
- MIM TEM:                       ( Digo que EU tenho algo
- ME TEM:                          (Digo que algo tem a mim).
- NOTE QUE TODOS OS "MIM" (s) É usado quando  EU AJO, EU ATUO, EU FAÇO, EU TENHO... (EU FAÇO ALGUMA AÇÃO)
- NOTE QUE  TODOS OS "ME" (s) É usado quando outros é que fazem algo para nós, alguém atua para em nosso favor,.
- Finalizando -  Veja essa frase: MIM BEIJA MUITO, quero dizer que eu estou agindo, eu estou atuando, eu estou fazendo uma ação.
                         Veja essa Frase: ME BEIJA MUITO,  quero dizer que alguém está agindo, alguém está fazendo, alguém fazendo uma ação em nosso favor. 
                            Veja essa frase: POR FAVOR MIM EXCLUA DE SUA VIDA. seguindo o princípio acima, ela está errada, por quê? Porque, neste caso , não é você que está fazendo a ação, você está pedindo que alguém aja, ou atue, que alguém faça algo para você. Já que não é você (EU) que está agindo, o certo é escrever : "POR FAVOR ME EXCLUA DE SUA VIDA)
                               Veja essa Frase: "POR FAVOR MIM COMPRE SEIS PÃES" Neste caso a frase está incorreta ou correta? Explique sua resposta nos comentários.
(17577)



Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...