Número total de visualizações de página

MAGAZINE ERIKA!

sábado, 27 de agosto de 2016

OLIMPÍADA, ESPORTE BRASIL QUEM GANHA?

CRÔNICA -


                 OLIMPÍADA, ESPORTE BRASIL                                    QUEM GANHA



- Quero começar esta crônica com estes números: "Valor do benefício:
(Atleta Estudantil: R$ 370,00/mês.
Atleta de Base: R$ 370,00/mês.
Atleta Nacional: R$ 925,00/mês.
Atleta Internacional: R$ 1.850,00/mês.
Atleta Olímpico e Paralímpico: R$ 3.100,00/mês.
Atleta Pódio: até R$ 15.000,00/mês)". (site caixa econômica federal)

-Pesquisando na internet tive a grata surpresa de ver estes valores como também de saber que este programa de bolsa ATLETA é um incentivo aos atletas do Brasil que não tem ou não podem ter patrocínio de empresas privadas. Olhando diretamente nos números até parece uma coisa boa e que o estado está fazendo sua parte para ajudar o esporte brasileiro. Mas na prática é isso que acontece? Neste ano de 2016 o evento foi realizado aqui no brasil, diga-se de passagem, glamouroso até demais. Nós fomos representados com um número de atletas - elevados? - 465 atletas representaram o nosso pais, total, segundos o site  uol.com.br. Desses 465 atletas apenas 19 deles obtiveram êxitos. Foram 6 medalhas de bronze, 6 de pratas e 7 de ouro.
- A imprensa brasileira ficou deslumbrada com tal resultado, já que os resultados foram melhores do que na olimpíada passada.
- Segundo a matéria que li no site da folha - ( TRANSPARÊNCIA
A falta de transparência das federações também é citada como motivo da falta de interesse das empresas.
"Não está claro o que as federações fazem com o dinheiro. A iniciativa privada está cansada de pôr dinheiro sem saber onde vai parar", diz Kátia Rúbio, docente da Escola de Educação Física e Esporte da USP.
Para ela, investimentos públicos deveriam se concentrar em outra área. "A política nacional de esporte prevê investimento maciço na formação, não no alto rendimento. Por conta dos Jogos, gastou-se muito dinheiro com a ponta.")
...Vem ao encontro do que imagino ser um trabalho honesto e de resultados positivos e também na formação de homens e atletas, onde quem ganha é toda uma sociedade, não só nos momentos de competições, mas para toda vida. Neste caso, tal qual imagina-se ser nas grandes potências do esporte, ganhar uma medalha olímpica seria apenas mas um detalhe que não importava sua cor.
- Falta na verdade um conjunto de tudo, a começar pela honestidade dos que vivem no poder e ou estão no pode, da honestidade dos dirigentes das confederações, e principalmente de leis que proteja os projetos e as estruturas governamentais. Precisamos de um ministério que faça do estado um pilar para formação dos atletas; Implantação de formação de atletas nas escolas tanto públicas como nas particulares. Não seria preciso excluir nenhuma disciplina existente, mas implantar novas, neste caso a dos esportes, onde os alunos pretendentes às diferentes modalidades poderiam escolher com incentivo do núcleo diretivo da escola.
- Claro, este é um assunto para muitos textos, contudo espero que seja para poucos debates e mais atitudes por parte do estado, ou caso contrário vamos está nos contentando com as migalhas olímpicas. O que acontece depois dos jogos hoje? Entramos no ostracismos e nas lamentações om a sensação que poderíamos ter tido um desempenho melhor. Aqui deixo meus momentos de bronze, mas torço para que juntos possamos buscar sempre a de ouro mesmo que venha a de prata, o bronze será sempre bem vindo quando este for motivado apenas por um detalhe e não por omissão do estado.

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...