sexta-feira, 6 de setembro de 2013

"QUESTÃO DE GOSTO"

CRÔNICAS





                             "QUESTÃO DE GOSTO"



                                          Somos todos iguais no que se diz respeito a ser diferente. É bem verdade, às vezes acontece entre gosto de um e de outro, semelhanças. Por exemplo, gosta-se da mesma música, mesmo lugar, mesmo esporte, mesmo time de futebol, mesma fruta... Etc. Nossos gostos são tão inexplicáveis, que não entendemos como pode alguém gostar disso ou daquilo.
                                          Nas cores, também, não são diferentes, há quem goste do azul e não do vermelho; gostam do amarelo e detestam o azul, e assim por diante! Dizem que gosto é igual umbigo, "cada qual, tem o seu". E um dos maiores dito popular é: Gosto não se discute (ponto!). Existe gosto tão estranho que chega a ser exótico, aos olhos de outros. Acredito ser de péssimo gosto não viver no pragmatismo. Não ousar em um novo sabor, uma nova aventura uma nova cor, um novo lugar... Sabe por que penso assim? Porque nós humanos mudamos de conceitos e pensamentos no caminhar da vida. Por que então se não gostamos de melancia hoje, não podemos gostar amanhã? Veja por exemplo, muitas coisas que achamos certas a tempos atrás, hoje acreditamos que são erradas, e as que eram erradas no nosso ponto de vista, hoje temos como certas.
                                            A mente, à medida que abre para algo novo, infelizmente fecha-se para outra. Quando felizmente fecha-se para uma, infelizmente abre-se para outra. De repente é bom que assim seja... às veze não! A questão do gosto é mesmo peculiar. Conheço pessoas que gostam tanto de cebola quanto gosta de laranja. Conheci outra que masca pimenta como se fosse chiclete de tutti-frutti. Não se importava com o ardor... Parecia não arder na boca.
                                           É muito engraçado quando somo pego por nós mesmo gostando de coisas diferentes. E para justificar essa nova coisa que a princípio parece esquisita, tentamos buscar explicação óbvia. Isto me aconteceu. Parece que a idade nos influencia nesse trâmite. Quando construí a primeira casa, entrei em colisão com a mulher, na hora de compra os móveis e na hora de por a cerâmica. A mulher queria tudo combinando, a geladeira tinha que combinar com o armário,  que combinava com o fogão que por sua vez combinava com o mês, seria tão brancos quanto o piso de cor semelhante ao gabinete da pia, igualzinho ao revestimento das paredes. Um sonho, a cor branca predominando todo ambiente! Idem o gosto da cor dos móveis do quanto tinham que ser em mogno. A partir daí, o início de uma das rotas de colisão. Perguntava-me, por que tem que ser tudo na cor branca e não colorido? Por que os móveis não poderiam ser de cores diferentes? O porquê não me agradava. Tudo de uma cor só... Não sei! (não que ficasse feio), mas o colorido era o que, mas me agradava.
                                       O meu gosto era questionado não só pela minha esposa, as amigas dela, diziam ser um gosto cafona e que era uma tremenda falta de bom gosto. Pode? Ainda assim, variei o máximo que pude. As paredes e os tetos da casa eram estranhos aos meus olhos. Algo não me agradava... Era tudo branco! Você já imaginou uma casa com cada parede de cores diferente? Pois é, a mulher relutou tanto que chegou a dizer que algo assim, só poderia vir da cabeça minha! "um louco". Isto aconteceu no ano de 1994, e ainda hoje, quando penso em fazer da casa um lar completamente colorido, me chamam de "louco". Será que sou louco? Será que fica feio? Como gosto é gosto, não vamos discutir! Mas..., Contudo..., Todavia..., Porém..., Por tanto..., Contanto..., Entretanto..., Não é só por achar bonito o colorido o qual me refiro. Além de achar bonito, e gostar, fui buscar explicação óbvia, para defender o que acham ser tal palhaçada.
                                          Sigam meu raciocínio: Um prédio ou uma casa de cor única, não nos lembra de farmácia, hospital, açougue, prostíbulo, escola? Por mais que a cor única seja uma cor alegre e jovial, esses locais assim pintados sempre nos passam uma imagem pesada e triste. Você já viu algum palhaço fantasiado com uma única cor? O colorido em si, demonstra um ambiente alegre e feliz. Para alegrar o quanto de um bebê, já notou que ele é ornado com cores e objetos coloridos? Quando se vai ao consultório pediátrico, as paredes podem até ser da cor do restante do prédio, contudo, o pediatra faz questão de colocar nas paredes desenhos colorido, e na sala de espera, brinquedos coloridos.
                                         Foi aí que descobri a casa com paredes coloridas, além de bom gosto e ficar bonita, transmite alegria e bem-estar aos que ali moram quanto aos que visitam.
                                         Questão de gosto é assim, todo gosto tem que ter uma explicação óbvia. Mesmo que não seja convincente! Então, gostou?!

              
                                                                CAVALCANTE, 20/06/2005



GOSTOU DESSA CRÔNICA? COMPARTILHE NAS REDES SOCIAS, COPIEM E COLEM. Ajudem na divulgação! http://400anosolivro.blogspot.com.br/

06-09-2013

Publicação em destaque

A DISTÂNCIA E A SAUDADE

CRONICA                      ADISTÂNCIA E A SAUDADE     A vida começa na concepção do amor. São muitas brincadeiras, risos e palha...